Autoconhecimento e a qualidade dos pensamentos

O pensamento é uma forma de autoexpressão que merece profunda atenção. Qual o padrão dos pensamentos produzidos? Qual a utilidade? Favoreceria se alguém “escutasse” alguns destes pensamentos? Então, o pensamento que não pode ser revelado, o que contém na sua essência?

Quando lideramos, temos que desenvolver pessoas. O que se pensa de quem devemos desenvolver? Há empatia? Respeito? Ou já existe um preconceito, dificultando a melhor intencionalidade?

No autoconhecimento, busca-se saber porque rejeitamos ou simpatizamos “excessivamente” com alguém,  principalmente antes de darmos um feedback. Ao liderar, é necessário atingir a dose certa de isenção, para sermos um pouco mais justos e úteis, contribuindo para o crescimento das pessoas da equipe, visando o resultado.

Esse post foi publicado em Reflexões e marcado por Elisete Pagano. Guardar link permanente.

Sobre Elisete Pagano

Pesquisadora, professional & self coach, analista comportamental, palestrante e consultora sênior em Liderança, Comportamento e Relações de Poder. Mestre em Educação - Unisinos; Professional & Self Coach - IBC; Especialista em Planejamento Estratégico de RH - UFRGS e Eng. da Qualidade - PUCRS; Especializanda em Filosofia Clínica - Instituto Packter; Especializanda em Psicologia Junguiana - FACIS/SP; Pós-graduada em Auditorias da Qualidade - PUCRS; Engª Química - PUCRS. Analista de Perfil Comportamental certificada pelo IBC. Exerceu função de Gerente de Desenvolvimento e de Processos em empresas de médio e grande porte, líderes de mercado. Atua em desenvolvimento comportamental de pessoas e organizações, com aperfeiçoamento de lideranças e autoconhecimento. Professora em cursos de extensão universitária. Sócia da Intelligentia Assessoria Empresarial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 + 1 =