Canais da excelência em gestão

Modelo Intelligentia de GestãoComo vimos no ensaio arcabouço da gestão empresarial, o terceiro pilar do know-how de gestão é constituído pelos veículos, ou seja, os meios, os métodos, que sistematizam as técnicas de gestão (o segundo pilar) por sua vez selecionadas a partir de princípios ou fundamentos da excelência gerencial (o primeiro pilar).

Vamos estudar um pouco mais sobre o que são esses meios, que também podemos chamar de canais, conforme explorado no ensaio excelência em gestão empresarial. De modo amplo, podemos dizer que existem quatro grandes canais de gestão, que se bem trilhados levam à excelência gerencial. São eles: gestão estratégica (GE), gestão da operação (GO), gestão da informação (GI) e gestão das pessoas (GP).

Pelo canal da Gestão Estratégica fica estruturado o subsistema responsável pela perenidade da organização, que vai permitir traçar e alinhar objetivos organizacionais de longo prazo com objetivos operacionais e individuais de curto prazo, e definir os caminhos (estratégias e planos) para a realização desses objetivos.

O canal da Gestão da Operação responde pelo subsistema que sistematiza as ações e otimiza o uso dos recursos do dia a dia, promovendo a eficiência operacional e a eficácia na realização dos objetivos e metas organizacionais. Em outras palavras, é o subsistema de gestão que irá garantir a produção e entrega dos produtos (bens e/ou serviços) aos clientes, com qualidade e produtividade.

Pelo canal da Gestão da Informação se estabelece o subsistema que permitirá a plena e confiável utilização dos dados da empresa, pela sua organização e transformação em conhecimento, apoiando a tomada de decisão.

E, pelo canal da Gestão das Pessoas se constitui o subsistema que efetiva a harmonia e o desenvolvimento das pessoas na organização, viabilizando e facilitando o trabalho do dia a dia e o aperfeiçoamento organizacional.

Esses canais, como representado na figura esquemática, são interagentes e interdependentes. Não por acaso o canal da gestão das pessoas está no centro do esquema, dado que tudo que acontece na organização depende delas a partir de seus comportamentos e ações. Circundando esse canal, estão os demais canais e a representação de suas interações. Assim é que na interação dos canais gestão estratégica e gestão da operação surge a componente “inovação” do negócio, cada vez mais necessária à manutenção da competitividade. Na interação gestão da operação e gestão da informação se apresenta a componente de ligação “produtividade”, significando que a informação deve orientar a eficiente utilização dos recursos da organização. E na interação gestão da informação e gestão estratégica temos a componente de ligação “controle”, demonstrando que a informação deve permitir a verificação e o ajuste da estratégia que foi colocada em prática.

Esse post foi publicado em Artigos e marcado por Robin Pagano. Guardar link permanente.

Sobre Robin Pagano

Pensador, palestrante e consultor sênior em Estratégia, Gestão e Inovação de negócio. Mestre em Eng. de Produção - UFRGS; Pós-graduado em Estudos de Políticas e Estratégias de Governo - PUCRS; Pós-graduado em Marketing de Serviços - ESPM/RS; Especializado em Gestão da Qualidade Total (TQM) - NKTS/Japão; Lead Assessor ISO 9000 - SGS-ICS; Engº Eletrônico - PUCRS. Atuou como Gerente de Desenvolvimento, de Processos e de Serviços em empresas de médio e grande porte, nacionais e multinacional, líderes de mercado. Professor universitário em cursos de MBA, Especialização e Extensão. Consultor sênior em Estratégia, Gestão, Qualidade e Inovação. Sócio da Intelligentia Assessoria Empresarial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ 38 = 43