Autoconhecimento e a relatividade da realidade

Olhamos para o mundo com uma lente que seleciona nossa percepção. Aquilo que chamamos de realidade está relativizado pela percepção dominante. Assim, percepções diferentes, realidades diferentes.

O conhecimento formal favorece a aproximação de percepções, contudo, a subjetividade de cada um de nós, pode distanciá-las. Podemos inferir que a subjetividade interfere, de modo favorável ou não, na formação de uma percepção.

O autoconhecimento denuncia a relatividade da nossa realidade. E, considerando que primeiro percebemos para depois raciocinarmos, é de suma importância sensibilizar que, percebendo diferente, modifica-se a malha cerebral envolvida no raciocínio. Um líder busca flexibilizar suas percepções para raciocinar em vários cenários, antes de decidir.

Publicado em Reflexões por Elisete Pagano. Marque Link Permanente.

Sobre Elisete Pagano

Pesquisadora, professional & self coach, analista comportamental, palestrante e consultora sênior em Liderança, Comportamento e Relações de Poder. Mestre em Educação - Unisinos; Professional & Self Coach - IBC; Especialista em Planejamento Estratégico de RH - UFRGS e Eng. da Qualidade - PUCRS; Especializanda em Filosofia Clínica - Instituto Packter; Especializanda em Psicologia Junguiana - FACIS/SP; Pós-graduada em Auditorias da Qualidade - PUCRS; Engª Química - PUCRS. Analista de Perfil Comportamental certificada pelo IBC. Exerceu função de Gerente de Desenvolvimento e de Processos em empresas de médio e grande porte, líderes de mercado. Atua em desenvolvimento comportamental de pessoas e organizações, com aperfeiçoamento de lideranças e autoconhecimento. Professora em cursos de extensão universitária. Sócia da Intelligentia Assessoria Empresarial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

+ 30 = 32